quinta-feira, 28 de julho de 2016

A pimenta que ardeu no olho de Joana.

A gente não espera que um dia pode acontecer conosco e com Joana simplesmente aconteceu. Aconteceu de forma usual: aos poucos e sem consentimento.
Existem seres humanos que perdem a noção do que é amar e talvez por experiencias antigas fazem do novo relacionamento uma forma de "pagamento" e não é bem assim.
Muitos relacionamentos se tornam abusivos por causa de atitude como essa, um dos fatores mais fortes.
Mas enfim, essas talvez seja a explicação que tanto Joana tanto procurou, afinal, até hoje ela não consegue entender o por que de tudo que viveu.

"Numa noite de inverno, Joana se encantou por um coração que a entregou um amor de qualquer jeito. As lágrimas eram escondidas e tinham cor vermelha, o vermelho que doía  (hoje não dói mais)
A primeira vez começou com uma impaciência, a falta de ajuda num momento muito delicado, mas o egoismo e a falta de sensibilidade marcava o inicio do inverno"


Era o primeiro relacionamento da nossa Joana Famile e tudo parecia mágico, até a falta de confiança, desprezo, palavras duras e pobres de amor assombrar toda a mágica.
Joana não era uma santa, errava e se cobrava muitos pelos seus erros, era teimosa e aos poucos se tonava uma mulher , 'Uma mulher moldada nas mãos de uma alguém que queria uma mulher perfeita ao seu lado'.
Mas o que é ser maduro? Já falei sobre isso no blog e não quero falar novamente sobre isso.
Exigências foram feitas e ao mesmo tempo desmentidas. Era um controle descontrolado e a Joana perdia cada vez mais a sua essência.

"21:30 e sua melhor amiga queria matar a saudade e por causa do medo de uma discussão, Joana não permitiu esse reencontro de alma e relaxamento emocional e foi a partir daí que Joana vivia numa ponte de longa distância entre as pessoas que a salvaria desse amor sem nome" 

Joana ficou sem amigos por perto, os de verdade sabiam que algo de errado acontecia e que um amor cego não a deixava ver a tamanha submissão Joana.
Uma menina doce, Joana conquistava pessoas incríveis e há 3 anos antes desse relacionamento ela conheceu uma negra flor que os beijos se transformaram em uma amizade muito bonita, mas tava frio, o inverno continuava a castigar e foi essa flor negra que a ajudou no momento em que ela mais precisou, aquele momento no inicio desse conto. 
A flor ajudou Joana nessa noite, ela estava só em casa e Joana inocente a chamou pra conversar e contar o que aconteceu, ficou tarde e a convidou para dormir, foi o pior erro dela, nesse momento Joana assinou sua culpa fiel de todas as discussões. Ela perdeu a credibilidade que nunca teria. Joana nunca mais foi uma mulher de confiança.

"Foi dominada por uma culpa que nunca teve, tingiu todas as suas verdades em vontades alheias e foi ali que todas as cores tingidas ficaram pretas e esse preto foi cada vez tomando conta de toda uma vida que desse ponto pra frente o inverno viraria inferno"

Outro fato importante a ser dito é que Joana tinha outros planos para sua vida e consequentemente quando nos relacionamos com pessoas nós dividimos sonhos e quereres e arrancamos apoio, inveja, força de vontade e disso tudo sobrou o: você poderia muito bem fazer o mesmo, você precisa de dinheiro e faríamos juntas".
Joana apaixonada, seguiu um sonho que não era dela, se deu bem, muito bem por sinal, mas não era o sonho dela. 
Sua primeira viagem para fora foi marcada por esse preto vazio, tudo foi muito perfeito, até o primeiro dia e depois que eles foram se passando, a desconfiança rondeava esse relacionamento e qualquer ato tido como falha eram discussões e um choro interminável, um choro que de vermelho virou preto.

"Na varanda do hotel, sentindo o fim do inverno asiático, Joana começava a se arrepender de ter se precipitado, mas ao mesmo tempo, o amor que ela sentia estava sendo machucado, mas ainda assim lutava. Era uma briga entre a mente e o coração e infelizmente o coração ganhava na frente"

Resumindo essa viagem em um dia muito normal, nos ventos egípcios, Joana era a líder de grupo, sim, não era o que ela queria, mas era uma profissional tão boa que ela virou líder do grupo. Antes de trabalhar com seu doloroso amor, ela trabalhava em um lugar que tinha 5 horas de distancia e essa distancia fazia com que ela foi ela mesma, e essa veracidade a levou para um posto que muita gente disputava... foi uma felicidade de curto prazo, ela foi interrompida por uma pessoa que tinha a necessidade de mostrar que Joana não tinha capacidade de estar no lugar onde ela estava. 


"Do teatro até o quarto era longa a distância, mas cada palavra cuspida, o quarto que parecia está a 5 minutos dos seus pés, estava em muitas milhas dali.
Palavras xingadas: 'VOCÊ ME IRRITA', eu sou sua namorada e você não sabe fazer nada direito.
Eram gritos altos  e estridentes."

Naquela noite, Joana adquiriu uma doença no sistema nervoso que a deixa tremula, sem ação e todo o lado direito do corpo paralisa.
Depois desse dia Joana não foi mais a mesma mulher, tudo era assustador e a qualquer grito ela sentia um medo tremendo. 
Assim foi o segundo ano desse relacionamento e durante tudo isso que aconteceu, Joana se afastou também da sua mãe, afinal era colocada em cima do muro, tinha que escolher entre a família e Ela. Doía muito, mas o que a fazia se conformar era que ela era provada todos os dias que relacionamento era assim, Joana era colocada a prova a todo momento e o amor que ela tinha dentro do coração já estava num cansaço muito tenso. ela vivia só, não conversava com ninguém e sua unica saída era desabafar com seus papéis. 

" Diante dos seus papeis e caneta, Joana chora palavras de dor e vontade de liberdade, suas palavras pedem respostas de perguntas que ela sabia responder. Joana se perdia a cada noite perdida, a cada sono mal dormido, a cada sono não dormido, olheiras expostas em cada show apresentado, se perdia a cada sorriso ligeiro e medroso. 
Joana sabia a saída e não conseguia mais sair do lugar onde estava e ela se conformou a escrever e viver a dor de ter um amor mal construído."


O terceiro ano começou e Joana foi para os ventos Tunisianos, o ano que a provou o que ela precisava fazer pra ser feliz por ser ela mesma, durante toda a estadia em território norte africano houve muitos gritos, ameaças, assedio moral, isolamento, desmerecimento, falta de valor e muita falta de relacionamento. As duas ultimas citações a serem ditas foram as ultimas provas de que Joana precisava para perceber que não existia mais amor dentro dela e  sim um medo submisso a um amor que só te controlava e decidia por ela, Joana lutou sozinha para ser uma mulher melhor para sua namorada e não obteve nenhum resultado, pois, ela ja tinha utilizado todas as suas artimanhas de mulher para salvar o sentimento e tempo de relacionamento, mas não foi o suficiente, ela não era suficiente, sempre errou, sempre pedia desculpa, sempre tinha que correr atras e fazer as pazes, era ludibriada pela verdade cega da sua parceira e essa verdade a fazia ter certeza que o erro era dela e somente dela. Joana não era suficiente, pois, a satisfação nunca seria tida pela outra parte, o ato de brincar de mandar viciou e Joana não sabia mais de onde tirar motivação para agradar quem ela supostamente amava.


"VOCÊ É UM TIPO DE MULHER QUE MERECE APANHAR
CALA A DESGRAÇA DA BOCA
VOCÊ SÓ PRESTA NA CAMA
Joana chorava arrumando sua bagagem de volta, eram duas bagagens sendo arrumada e a que mais doía não era a de despedida, era a bagagem de feridas acumuladas dentro do coração, suas roupas voltaram para o Brasil  molhadas de magoas, de vontade de ser feliz, com vontade de ser ela mesma. 
Essas frases a tormentam ate hoje."

Essa historia dolorosa acabou, não poderia acabar de forma mais esperada.. por culpa de Joana!
Joana começou a viver sua vida , estudar trabalhar longe de todas essas opressões e a partir dai ela começou a ser julgada por esquecer o relacionamento... rsrs ela foi julgada por cuidar dela mesma, por viver os desejos dela, o controle externo começava a perder a força e até que chegou o grande dia de pedir o tempo pro relacionamento com as seguintes palavras: Você não é mais a menina que conheci, esse tempo é pra você saber o que você quer.  Joana já estava sem força pra lutar, ainda assim sem amor lutou e com a impaciência, intolerância e muito egoismo o relacionamento acabou e foi a porta de saída para o sorriso daquela menina que brilhava diante de todos.
Todo esse conto, foi só uma vírgula de tudo que ela passou. existiram momentos bons, momentos mágicos, mas os momentos ruins anularam qualquer atitude boa. 
O mundo está passando por uma situação muito delicada, mulheres estão sendo atacadas por todos os lados, estão sofrendo por um machismo muito maldoso, cruel. 
Não são só rostos feridos, manchas roxas, não são só machucados físicos, é muito mais além disso, é alma machucada. A mulher esta sendo exposta a uma lugar que não é dela e nem de ninguém, ninguém merece pagar por falta de caráter. 
Existem várias Joanas por ai, relacionamento abusivo machuca e infelizmente ta na moda e pode acontecer entre homens e mulheres, homens e homens, mulheres e mulheres!! 
Joana estava em uma relação com uma mulher que a tratava com muito machismo, e o mais engraçado: Joana é Feminista! Contraditório né ? Isso só prova que estamos todas a mercê de tudo isso. Quando existe sentimento nossos olhos veem outras realidades e são através dessas realidades que não percebemos onde estamos e o que estamos vivendo. 
E foi assim, a grande viagem que começou em 2013, obrigada por esperarem, Joana tinha sumido do mundo real.

2 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. (Vick) Texto muito bem escrito.. Profundo.. Doloroso.. Porém Joana é como uma fênix! ressurgiu das cinzas da dor e decepção ainda mais bela e forte.

    ResponderExcluir