quarta-feira, 3 de julho de 2013

Medo, confusão, saudade, almejos. Medo!

Abrem a porta , dizem vozes, energia forte.
O meu silencio me domina.
Domina, mas o mundo dentro de mim me corrói. Tantas palavras que querem ser ditas, que querem liberdade, mas o medo impede o que possa ser uma catástrofe.
Lágrimas que incham na garganta, vejo segredos diante de mim, vem a vontade de fugir com aquele carro de  sorvete colorido que passava todo dia na porta de casa e viver pra sempre com ele.

Um comentário: